O cinco atributos do amor

heart-700141_960_720

Aí há tempos saiu um artigo que defendia que as relações que mais duravam dependiam de dois atributos básicos: a generosidade e a bondade. Estudo de John Gottman e sua esposa (se querem ler mais sobre o assunto cliquem aqui). Pensando bem sobre o assunto, julgo que mais que generosidade e bondade, contam também tempo, disponibilidade e investimento.

Tempo para deixar as coisas acontecer, tempo para as duas pessoas se conhecerem, tempo para fazerem coisas juntos/as, tempo para pensar, avaliar, apaixonar e tempo para deixar despertar o amor, um sentimento que não surge de um dia para o outro.

Disponibilidade diz respeito ao próprio facto de estar disponível para o outro – mais do que ter tempo, fazer tempo. Disponibilidade para amar, para a entrega, para a cumplicidade, para sentir; para ter sentimentos com o medo e as defesas que isso pode acarretar. No fundo, disponibilidade emocional ou abertura ao outro.

Investimento relaciona-se com comportamentos e atitudes, o que se faz na direção da pessoa amada. Investimento de tempo, de emoções e sentimentos. É preciso uma boa dose disso. Investir significa estar presente, de corpo e alma (preferencialmente), preocupar-se, fazer o bem, surpreender, acarinhar, conquistar, querer estar junto independentemente das condições.

Como diz no Principezinho de Saint-Exupéry: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Não é só conquistar a pessoa amada passados os primeiros tempos de relacionamento e pronto. É preciso investimento, tempo e total disponibilidade para estar junto daquela pessoa, estar verdadeiramente com alguém.

Generosidade para dar. Dar de si, dar a si mesmo/a. Generosidade para sentir, para se permitir ir, confiar, gostar; generosidade de sentimentos e desejo por aquela pessoa. Generosidade na entrega. É preciso ser mãos largas no amor, dar tudo o que se tem, sem contudo ficar com nada. Dar por dar mas receber também. É preciso ser retribuído, não adianta dar por nada, por quem não quer receber. Aqui falo de um dar que é recebido, que é desejado. Neste desejo mútuo, na generosidade há um movimento recíproco sem esperar nada em troca, agradando por agradar. Dar de forma abnegada, sabendo que se está a fazer o melhor que o coração tem para oferecer.

Bondade pela benevolência, esperar o melhor, querer o melhor para aquela pessoa, ser gentil, amoroso/a. Bondade na sinceridade, honestidade, benevolência, flexibilidade e tolerância, na preocupação e no respeito pelo outro, pelas características e necessidades do outro; dar espaço para ser, permitir que se seja sem crítica ou julgamento. Abertura ao outro.

Estes cinco atributos, na sua essência, desdobram-se para criar algo mágico e necessário: Ser, Estar e Dar. Liberdade para ser, vontade de estar e dar o que se tem de melhor. Uma dança subtil e complexa feita de personalidades, feitios, temperamentos, formas de ser e de se relacionar. Saibamos jogar este jogo delicado com os atributos que lhe são necessários.

Published by Paula Chocalhinho

Uso a Psicologia, a Hipnose e as Constelações Familiares para facilitar processos de mudança baseados na autoanálise e no autoconhecimento, indo às causas das perturbações e sintomas (aumento da consciência), promovendo o ensino de estratégias de regulação emocional (ansiedade e pânico) e trabalho com a criança interior para acolhimento das feridas e superação dos traumas. Para marcações, preencher o formulário em Contactar. Podcast Psicologia de Bolso no Spotify.

Leave a Reply

%d bloggers like this: