A noite tranquila

ocean-3605547_960_720

A minha alma tem vazios
Fendas e buracos negros
Tem intempéries
Tem lapsos do tamanho do Tempo
Tem camadas e convés
Não cabe na palma da mão.
A minha alma percorre mundos
Espaços e linhas de tempo
Não tem direcção nem destino
Foge como quem voa certo
Estica e encolhe
Está em parte incerta
Brinca e relampeja.
É tudo o que sou mas também o que não sei
O que não sou e desconheço
Tentar agarrá-la e uma labareda se ergue
Deixar que venha é a solução
Parar, esperar por ela
Volátil
Escarninha
Chama acesa
Intemporal, tudo o que é e há de ser.
Se paro, sorrio e ela confia
Aninha-se em mim tal gato selvagem
Espírito do mar ou do ar
E aí, tal fogo morno
Adormece no meu ventre
E eu sou tudo o que Há e há de Haver
Sou tudo o que sou e sei
Sou a existência em si
E tudo entra numa paz profunda
Como uma noite silenciosa e tranquila.

Published by Paula Chocalhinho

Uso a Psicologia, a Hipnose e as Constelações Familiares para facilitar processos de mudança baseados na autoanálise e no autoconhecimento, indo às causas das perturbações e sintomas (aumento da consciência), promovendo o ensino de estratégias de regulação emocional (ansiedade e pânico) e trabalho com a criança interior para acolhimento das feridas e superação dos traumas. Para marcações, preencher o formulário em Contactar. Podcast Psicologia de Bolso no Spotify.

Leave a Reply

%d bloggers like this: