Ao amor que julgas não merecer

beautiful-1854443_960_720

Ao desamor que te dás

Ao amor que te falta

Ao amor que não tiveste

E ao que tiveste e não soubeste reconhecer ou receber

A todos os amores e desamores

Mas essencialmente à falta

Ao não reconhecimento

A todas as vezes que não te soubeste amar

A todas as vezes que julgaste não merecer

Não conseguir dar mais

A não conseguir receber

O merecer

O receber

O estar de braços abertos

O estar de braços fechados com dificuldade de abrir

Abrir coração

Abrir braços

Não és capaz

Não te julgas capaz

Não te julgas merecedor/a

Não podes receber com medo de perder

Com medo de não ser para ti

Com medo de te ser retirado

Com medo de ser demais

Com medo de ser de menos

Ao amor que esperas

Ao amor que encontras

Abre os braços

Recebe

Reconhece

Ele está aí

Ele é teu

Ele és tu.

Published by Paula Chocalhinho

Uso a Psicologia, a Hipnose e as Constelações Familiares para facilitar processos de mudança baseados na autoanálise e no autoconhecimento, indo às causas das perturbações e sintomas (aumento da consciência), promovendo o ensino de estratégias de regulação emocional (ansiedade e pânico) e trabalho com a criança interior para acolhimento das feridas e superação dos traumas. Para marcações, preencher o formulário em Contactar. Podcast Psicologia de Bolso no Spotify.

Leave a Reply

%d bloggers like this: