Ansiosos funcionais

Já ouviu falar em ansiedade funcional? Poderá sofrer dela e não saber. Não é um diagnóstico formal, o termo “ansiedade funcional” serve para descrever indivíduos que vivem com ansiedade mas que nada deixam transparecer, funcionando perfeitamente nas suas vidas, sendo até bastante ativos, empreendedores, dando resposta a uma série de situações e podendo até ter, inclusivamente, um ar bastante sereno e tranquilo, como se nada os afetasse.

Contudo, têm dificuldade em dizer que não, são perfeccionistas, autoexigentes, têm necessidade de agradar a toda a gente, medo de desapontar e de cometer erros ou fracassar, pois querem ser sempre as suas melhores versões e querem também, muitas das vezes, dar conta de tudo e de todos, o que os leva, mais cedo ou mais tarde, a um esgotamento ou depressão, ou mesmo a ter crises de ansiedade ou ataques de pânico por terem dificuldade em relaxar. Isso acontece porque vivem sempre alertas, hipervigilantes a respeito do futuro, preocupando-se por antecipação e estão sempre a tentar adivinhar o que vai acontecer, prevendo sempre o pior.

Estas pessoas sofrem de um excesso de necessidade de controlo, querendo dar conta de tudo, prever todos os cenários possíveis, nunca desligando do trabalho ou das preocupações, não gostando de estar paradas, sem fazer algo de útil. Se se identificou com estas características, provavelmente poderá sofrer de ansiedade generalizada (prolongada no tempo e constante ou recorrente). Mesmo que não se identifique como tendo ansiedade, o que pode acontecer é que já está tão habituado/a a sentir ansiedade (ativação constante) que para si já é um estado normal. Poderá então estranhar porque tem crises de ansiedade súbitas ou ataques de pânico inexplicáveis que parecem vir do nada.

Das duas uma, ou anda tão ansioso/a, notando ou não, que é impossível para o seu corpo conter tanta ativação durante tempo que acaba por ter uma descarga, ou vive com inseguranças, preocupações ou traumas recalcados (assuntos emocionais que não quer ver ou adereçar) que acaba por ter um ataque de pânico. Sim, as questões emocionais não resolvidas produzem sintomas como os ataques de pânico, entre outros. Tudo o que mantém dentro, incluindo pensamentos automáticos negativos, crenças limitantes e preocupações constantes, faz com que o seu corpo responda como se vivesse num estado de luta ou fuga constante. Esse modo de luta ou de fuga chama-se ansiedade, e vem do medo de uma ameaça ou perigo.

Como tal, pode imaginar como sofremos todos de ansiedade, certo? Nos dias que correm, considerando as solicitações diárias e exigências que temos a vários níveis em termos pessoais e profissionais, difícil é não sermos todos ansiosos funcionais. Agora, se a sua ansiedade é excessiva, constante, o/a impede de descansar e relaxar, lhe provoca dificuldades de concentração e atenção (os malfadados problemas de memória) e lhe causa crises de ansiedade ou ataques de pânico, o melhor é fazer algo por si assim que possível, porque não tem tendência a diminuir ou reduzir com o tempo, como espera.

A tendência é que quanto mais evitamos olhar o medo de falhar e dizer que não (necessidade de corresponder e obedecer, ou não ser desaprovado/a e desagradar os outros), bem como e estabelecer limites saudáveis para nós e para os outros, mais ansiedade terá e ela passa a generalizar-se para uma série de situações, até que acredite que não é capaz de funcionar corretamente em nenhuma área da sua vida. Aprender a gerir a sua ansiedade é, então, a melhor coisa que pode fazer por si. Que ela surja, sim, em situações de vida ou de morte, mas que não esteja presente em situações que não o sejam (como todas as coisas corriqueiras do dia-a-dia que normalmente a provocam).

Published by Paula Chocalhinho

Uso a Psicologia, a Hipnose e as Constelações Familiares para facilitar processos de mudança baseados na autoanálise e no autoconhecimento, indo às causas das perturbações e sintomas (aumento da consciência), promovendo o ensino de estratégias de regulação emocional (ansiedade e pânico) e trabalho com a criança interior para acolhimento das feridas e superação dos traumas. Para marcações, preencher o formulário em Contactar. Podcast Psicologia de Bolso no Spotify.

2 thoughts on “Ansiosos funcionais

  1. Bom dia, fiquei assustada ao ler este texto.
    Revi-me em tudo, vou ter muito trabalho comigo mesma, o pior é que não dedico tempo a isso.
    Já são muitos anos assim. Era mais fácil ter botões.
    Obrigada

Leave a Reply

%d bloggers like this: